Choro da Liberdade.

Ganhou liberdade o soluço Que culminou em um pranto destoado Um choro tão triste confuso Tão veloz,desenfreado. Um choro que brotou mansinho Uma lágrima que rolou tão quente Desceu fazendo no rosto um carinho Minh'alma se tornou carente. Foi neste choro que ví Que na vida há momentos De parar e refletir E pensar nos sofrimentos. Se hoje choro de um jeito deprimido Rasgo o peito num impulso sem igual Choro o choro que outrora compelido Que liberto num momento natural.