Desejo ardente.

Meus olhos deitaram em teu corpo/ Perdi a calma, já duro, Teso!/ O pensamento torpo/ Encheu-me a alma de desejo/ Te toquei, ardendo/ Corpo queimando, querendo/ Tua língua, teu calor, teu beijo/ Nos ardia uma vontade louca/ Um fogo indiscreto/ Vontade de amor, de sexo/ E tua flor, em secreto/ Invadiu-me a boca/ Num frenesi de animais/ Tua pétala umedecida/ Parecia gemer, pedir mais/ Em um beijo, teu mamilo enrijecido/ Teu olhar de gazela/ O gemido incontido/ A amante mais bela/ Ansiava ser tomada, preenchida/ No momento mais sublime/ Mais puro desta vida/ Gemeu num tesão sem igual/ Se fez fêmea carinhosa/ Uma gatinha manhosa/ Que urrou feito animal/ E relaxou toda dengosa.