Breaking

Literatura | Conto | O homem que vivia nas ruas.

Um senhor era pedinte e caminhava pelas movimentadas ruas de uma capital quando cansado de tantos nãos e com fome resolveu sentar-se a beira de uma calçada e com olhos fechados elevou o pensamento ao céu suplicando, Senhor tu sabes que estou aqui não por vontade própria mas a vida me colocou aqui, minha família me abandonou numa cidade grande e cheia de pessoas que dizem fazer sua vontade, mas penso que eles não o fazem, será que o Senhor iria querer ver um filho seu negando um pedaço de pão a outro de seus filhos? Quando me deixaram aqui senti vergonha de mim mesmo por não poder trabalhar e garantir meu sustento, todos os trabalhos conseguidos me foram tirados por falta de saúde, eu era um estorvo para a família, acho que por isto se foram me deixando, mas sei que és o Deus da providência sinto fome sequer coloquei água na boca neste dia e já passa das 15 horas, eu creio em ti e vou esperar um dos teus filhos há de me ver e dar- me um pão para matar minha fome.
Neste conflito de pensamento adormeceu e quando acordou estava noite e passava muitas pessoas umas pisando em seu corpo deitado na calçada, os carros passavam apressados e os farois lhe perturbavam a visão, um homem aproximou-se e lhe disse coisas horríveis e chutou-lhes as pernas, ele continuava deitado não conseguia levantar-se, muita gente e muitas luzes sua cabeça rodava nem sentia mais fome, passado uns minutos daquele transito ele conseguiu se levantar e sentou-se novamente, olhou a seu redor tinha dois cães deitados próximo a ele, conversou um pouco com os cães e conseguiu ficar de pé, quando ia sair uma senhora chamou um dos cachorros venha Pelé o cão levantou e quando ia andando voltou e puxou ele pela perna da calça, a senhora vendo chegou perto e disse boa noite eu sou Chiquinha moradora de rua e você quem é nunca o vi por aqui. Ele disse eu sou Pedro e moro na rua também só que em outra cidade que nem lembro o nome, faz tempo estou vagando nestas ruas e não consegui nem um pedaço de pão para matar a fome. Chiquinha disse eu vou lhe dar de comer enquanto conversamos um pouco aqui, a volta para onde durmo é bem longe vai precisar ganhar força para ir comigo. Mas como ir com você, não me conhece não sabe se sou bom ou ruim, ela deu um sorriso e disse, pessoas boas a gente conhece de olhar e pelé gostou de você, se fosse ruim ele não se aproximaria ele sabe quem é bom ou mal. Depois de comer um pão com salame e um copo de água eles começaram a caminhar, a mulher que aparentava ter uns 60 anos disse como ficou nas ruas? Depois de ouvir a historia de Pedro ela contou a dela, nada muito diferente da historia dele, ambos tiveram família, trabalho e lar, agora abandonados por aqueles a quem mais amaram vivem nas ruas a mercê da boa vontade e do descaso.
Caminharam bastante ele estava com os pés muito inchados e cheios de rachaduras estava sangrando, eles iam conversando sobre as tristezas que acomete uma pessoa que perde sua dignidade e sua vontade própria. Chegaram na barraca amarrada de lona e sacolas perto de uma ponte, pelo menos não tinha carros passando toda hora, vivia muitas pessoas ali mulheres com crianças, senhoras e jovens. Depois de acomodar-se no cantinho Chiquinha pegou um pouco de água e lavou as feridas dos pés de Pedro e passou um pouco de azeite, ele sentiu tão aliviado que chorou ao ver que ainda existia pessoas de almas nobres. Lembrou do que disse a Deus mais cedo, e de novo falou com Ele, eu quero agradecer pela pessoa que me mandou uma filha sua, que estendeu a mão e matou minha fome curou as feridas de meus pés, muito obrigado, o mundo ainda tem salvação. O cansaço lhe dominou e novamente dormiu, quando acordou era manhã o sol brilhava no céu e pelé estava deitado perto dele, Chiquinha estava saindo para as ruas e disse-lhe fica aqui, tome seu café preparei um pãozinho de antes de ontem mas tava bom eu esquentei com um pouco de óleo, tome seu café eu vou passar um pouco mais de azeite em seus pés e você se aquiete ai pelé toma conta de tudo ai, quando eu voltar trago comida pra nós, vou ver se consigo umas roupas pra você estas estão muito sujas e rasgadas. O dia passou e a noite chegou a mulher voltou das ruas com muitas sacolas onde pouca coisa se apurou, mas ela tinha consigo uma coisa muito especial, um coração generoso e uma alma caridosa, depois de comerem e tomarem um pouco de café eles falaram sobre suas vidas e dos demais que viviam na mesma situação. Ao adormecer novamente ele havia entendido que existe muitas pessoas ruins mas em contra peso existiam muitas pessoas boas e generosas, então agradeceu a Deus pela vida das pessoas especialmente pela vida de Chiquinha. Agora ele tinha uma barraca onde esconder do sol e do sereno ao lado da mulher de coração generoso e de seu amigo pelé.
Texto de Luzia Couto. Direitos Autorais Reservados a autora. Proibida a cópia, colagem, reprodução de qualquer espécie ou divulgação de qualquer natureza, do todo ou parte dele sem autorização prévia e expressa da autora. Os Direitos estão assegurados nas Leis brasileiras e internacionais de proteção à propriedade intelectual e o desrespeito estará sujeito à aplicação das sanções penais cabíveis.

A man was beggar and walked through the busy streets of a capital when tired of so many noes and hungry decided to sit down on the edge of a sidewalk and with closed eyes raised thought to heaven pleading, Lord you know that I am here not willingly but life has put me here, my family abandoned me in a big city full of people who say they do his will, but I think they do not, is that the Lord would want to see his child denied a piece of bread to another your children? When they left me here I was ashamed of myself for not being able to work and make my living, all achieved works were taken from me by ill health, I was a burden to the family, I think for this we were leaving, but I know that are the God of providence feel hungry even put water in the mouth in this day and it's after 15 hours, I believe in you and I expect one of your children there to see me and give me bread to kill my hunger.
In this conflict of thought fell asleep and when he woke up was night and spent many people a stepping on his body lying on the pavement, the cars passed hasty and headlights disturbed her vision, a man approached and said horrible things and kicked them the legs, he was still lying could not get up, many and many a head was spinning lights no longer felt hungry last few minutes of that traffic he could get up and sat down again, he looked around had two lying dogs next to it chatted a bit with the dogs and managed to stand, when going out a lady called one of the dogs come Pelé dog up and when walking going back and pulled him by the leg of the pants, the lady saw came close and said goodnight I Chiquinha am homeless and you who is never seen him here. He said I'm Peter and I live on the street too but in another city that not remember the name, is time'm wandering these streets and could not even a piece of bread to stave off hunger. Chiquinha said I'll give you to eat while we talk a little here, back to where I sleep is far will need to gain strength to go with me. But how to go with you, do not know me do not know if I'm good or bad, she smiled and said, good people we know to look and pelé liked you, if it was bad it would not approach him know who is good or bad. After eating bread with salami and a glass of water they started walking, the woman who appeared to be a 60 year-old said as stood in the streets? After hearing the story of Peter she told her, nothing too different from his story, both had family, work and home, now abandoned by those he loved most living on the streets at the mercy of the good will and neglect.
They walked enough he was very swollen feet and full of cracks was bleeding, they were talking about the grief that affects a person who loses his dignity and his own will. They came in tied canvas tent and bags near a bridge, at least had no cars going all the time, many people lived there women with children, women and youth. After accommodating in the Chiquinha corner took some water and washed the wounds of the feet of Pedro and spent a little oil, he felt so relieved that he cried when he saw that there was still people of noble souls. He remembered what he said to God earlier, and again spoke with him, I want to thank the person who sent me a daughter of his, who reached out and killed my hunger healed the wounds of my feet, thank you, the world still has salvation. Tiredness you dominated and fell asleep again when he woke up it was morning the sun was shining in the sky and pelé was lying next to him, Chiquinha was going out to the streets and said you stay here, take your coffee prepared a roll before yesterday but tava good I warmed with a little oil, take your coffee I will spend a little more oil on your feet and you stand still there pelé takes care of all there when I return I bring food for us, I'll see if I can get some clothes for you these are very dirty and torn. The day passed and night came the woman returned the streets with many bags where little was found, but she was with a very special thing, a generous heart and a kind soul, after eating and take some coffee they talked about their lives and others who lived in the same situation. To fall asleep again he understood that there are many bad people but against weight there were many good and generous people, then thanked God for the life of the people especially the life of Chiquinha. Now he had a tent to hide the sun and the serene side of the generous heart of woman and her friend pelé.
Luzia Couto text. Copyright reserved to the author. The copying, collage, reproduction or disclosure of any kind whatsoever, the whole or part without the prior and express authorization of the author. Rights are guaranteed in the Brazilian and international laws of intellectual property protection and disrespect will be subject to the application of appropriate penalties.


Un hombre era pobre y se dirigió a través de las concurridas calles de una capital cuando está cansado de tantos noes y hambriento decidió sentarse en el borde de una acera y con los ojos cerrados levantado pensado al cielo suplicando, Señor usted sabe que estoy aquí no voluntariamente pero la vida me ha puesto aquí, mi familia me abandonó en una gran ciudad llena de personas que dicen que hacen su voluntad, pero creo que no lo hacen, es que el Señor querría ver a su hijo negó un trozo de pan a otro ¿sus hijos? Cuando me dejaron aquí, estaba avergonzado de mí mismo por no ser capaz de trabajar y ganarme la vida, logran en su totalidad las obras fueron tomadas de mí por la mala salud, yo era una carga para la familia, creo que para esto nos íbamos, pero sé que eres el Dios de la providencia se sienten hambre incluso poner el agua en la boca en el día de hoy y es después de 15 horas, yo creo en ti y espero que uno de sus hijos allí a verme y me da pan para matar el hambre.
En este conflicto de pensamiento se durmieron y cuando se despertó era de noche y pasó muchas personas una caminar sobre su cuerpo tendido en el pavimento, los coches pasan apresurada y faros perturbados su visión, un hombre se acercó y dijo cosas horribles y les patearon el piernas, todavía estaba mintiendo no se podía levantar, muchos y muchos una cabeza daba vueltas las luces ya no se sentían hambrientos últimos minutos de que el tráfico se levantó, y se sentaron de nuevo, miró a su alrededor tenía dos perros se extiende junto a ella charló un poco con los perros y logró ponerse de pie, cuando va a salir una señora llamó a uno de los perros vienen Pelé perro y al caminar yendo y lo sacó por la pierna del pantalón, la sierra señora se acercó y dijo buenas noches Chiquinha tengo hogar y que nunca se le ve aquí. Dijo que yo soy Peter y vivo en la calle también, pero en otra ciudad que no recuerda el nombre, es time'm errante estas calles y no podía ni siquiera un pedazo de pan para evitar el hambre. Chiquinha dijo te voy a dar de comer mientras hablamos un poco aquí, de vuelta a donde el sueño es ahora tendrá que ganar fuerza para ir conmigo. Pero, ¿cómo va contigo, no sé yo no sé si soy bueno o malo, ella sonrió y dijo, buena gente que sabemos que buscar y Pelé que le gusta, si era una pena que no se acercaría él sabe quién es bueno o el mal. Después de comer pan con salami y un vaso de agua empezaron a caminar, la mujer que parecía ser una de 60 años, dijo que estaba de pie en la calle? Después de escuchar la historia de Pedro, se le dijo, nada demasiado diferente de su historia, tanto tenía familia, el trabajo y el hogar, ahora abandonada por aquellos que más le gustaba de estar en las calles a merced de la buena voluntad y el abandono.
Caminaron era lo suficientemente pies muy hinchados y llenos de grietas sangraba, que estaban hablando el dolor que afecta a una persona que pierde su dignidad y su propia voluntad. Llegaron en tienda de lona atada y bolsas cerca de un puente, al menos no tenía coches que van todo el tiempo, muchas personas vivían allí las mujeres con niños, las mujeres y los jóvenes. Después de acomodar en la esquina Chiquinha tomó un poco de agua y se lavó las heridas de los pies de Pedro y pasó un poco de aceite, se sintió tan aliviado que lloró cuando vio que todavía había gente de las almas nobles. Se acordó de lo que le dijo a Dios antes, y volvió a hablar con él, quiero dar las gracias a la persona que me envió una hija suya, que se estiró y mató a mi hambre curó las heridas de mis pies, gracias, el mundo todavía tiene la salvación. El cansancio que dominado y se durmió de nuevo cuando se despertó fue la mañana el sol brillaba en el cielo y Pelé yacía junto a él, Chiquinha iba a salir a la calle y le dijo te quedas aquí, toma su café preparado un rollo antes de ayer, pero tava buena me calenté con un poco de aceite, tomar su café voy a pasar un poco más de aceite en los pies y te quedas quieto allí Pelé se encarga de todo lo que hay cuando vuelva traigo comida para nosotros, voy a ver si puedo conseguir algo de ropa para usted estos son muy sucia y desgarrada. El día pasó y llegó la noche la mujer volvió las calles con muchas bolsas, donde poco se encontraron, pero ella estaba con una cosa muy especial, un corazón generoso y un alma buena, después de comer y tomar un poco de café se habló de sus vidas y otros que vivían en la misma situación. Volver a dormirse él entiende que hay mucha gente mala, sino contra el peso había muchas personas buenas y generosas, a continuación, gracias a Dios por la vida de las personas, especialmente la vida de Chiquinha. Ahora tenía una tienda de campaña para ocultar el sol y el lado sereno del corazón generoso de la mujer y su amiga Pelé.
Luzia texto Couto. Los derechos de autor reservado al autor. La copia, el collage, reproducción o divulgación de cualquier tipo que sea, la total o parcial sin la autorización previa y expresa del autor. Derechos están garantizados en las leyes nacionales e internacionales de protección de la propiedad intelectual y la falta de respeto estarán sujetos a la aplicación de sanciones apropiadas.


Busque por Tag

. desejo ardente # você sabia #2016 #a discussão das frutas #a distancia #a família que fazia pães. #a professora da zona rural #a viagem de Vitor #açucar #adrielli #água #ajuda #ajuda. #alimentação #amor #amor criança. #amor em família #amor forte #amor que morre #amor# essencia #amor#saudade #amores. #Artigo #aventura #aventura # no # bosque #aventuras #aventuras. #beleza #beleza. #beleza.#curiosidades. #bicarbonato #boas festas. #brasileira #buquê #buquê de rosas#e crisântemos.# #cabelos #canção. #cereais #céu sem estrelas #chá caseiro #chuva. #comportamento #Compositora #conto #contos #contos. #contos#historias#romances#aventuras#ficção #contos#historias#romances#aventuras#informação #contos#historias#romances#aventuras#informação. #contos#historias#romances#aventuras#informação#ficção #coração sofredor #coração solitário #corações #culinaria #curiosidade #curiosidades #curiosidades. #curiosidaes #diante do sol #dica #dicas #dicas #curiosidades #dicas. #dicas#culinária #doce olhar #Doiscaminhos #entardecer. #escritoraluziacouto #estrada. #ficção #ficção. #flores #flores. #fogodas paixões #folhas #guerras e paz #historia #historias #homenagem #incertezas #incertezasrazões #infância #informação #insônia #jardim. #lembranças #liberdade #limão. #litaratura #literartura #literatura #livros #luziacouto. #maio #maquiagem #maquiagem. #Maranhão #Maria #Matéria #mensagem #mesmo que eu peça #milagre #mulher #mulher. #Música #natal #natureza #nobre coração #noite #noivas#maria #o homem que dizia não acrediatr em Deus #olhos #onde mora a saudade #os olhos apaixonados #papel alumínio #pedras no caminho #pensamentos #pensamentos2 #pensando #poema #poesia #pratos #prosa #receita #receitas #receitas #dicas#culinária #reflexão #romance #romance. #romances #romances. #romances.. #rosa #roxa # orvalhada #rosas #roseiras em aquarela #saudade #saúde #saúde.#contos. #sementes #sentimentos #sol #solidariedade. #sonhos #tempo. #terceira idade #terra #tipicos#Minas #truque #truques #truques. #uso #verão #versos #vida #vinagre #você sabia #você sabia. #Vulcão A saga do heróico povo brasileiro Alegria no porvir Alimento Alimentos Amigo fiel Amigos amor Amor de aço Amor de vida Aos nossos leitores arte avenida brasil bienal do livro em Aracaju Blogosferas BlogUpp BlogUpp the best of world Bravo sertanejo Brazil Tony Casanova Brazilian Literature careteira de habilitação Choro da liberdade cnh Conto Conto A mala de Juca Pitão crônica cultura Descrição da vida Dica Dicas para leitores Esperança Estória etiquetas sociais para redes sociais Falsidade Ficção formula formula do amor Humor Indicados Informações úteis Isabella literartura literatura Mãe é assim Melhor blogosfera Meninos de Aracajú Menopausa Milho Minha cor minha flor Minha princesa encantada novela das nove o que eles precisam saber sobre elas opinião Perfeita Plumas da alma poema no limiar da primavera poesia Poet of Sergipe Por quem chora a vela Prosa qual imagem voce deixa de si mesmo Rosa do desejo Selma Mendonça será? Sonhos largados Telenovela avenida brasil Tempo Texto texto tudo começa no primeiro gole Valdira Figueiredo Egoismo Verso vida Voto o quarto poder